Summary

BRICS Business Magazine thanks Victor Bereznoi for the translation into Portuguese.


Sumário

Todos os países estão se movendo a velocidades diferentes rumo ao que se chama sociedade de informação. A revolução tecnológica e a penetração praticamente global da Internet são fatores que nos levarão ainda a novos choques sociais, dos quais, porém, não se deve ter medo. É provável que nas próximas décadas possamos assistir a uma redistribuição em grande escala de funções e papéis, ou seja uma mudança qualitativa de entre aqueles que são realmente capazes de fazer a diferença. É inevitável que o famoso slogan “o homem é o ativo principal” se torne realidade, segundo afirma no prefácio o redator-chefe da BRICS Business Magazine Ruben Vardanian. Na realidade, trata-se da necessidade de aprendermos a pensar em nós mesmos como uma civilização humana global. Mais cedo ou mais tarde, questões globais exigirão respostas globais.

Jeremy Rifkin: A Terceira R. Mundial?

Para poder resolver o problema cada vez mais alarmante e ameaçador da mudança climática global, a humanidade terá que passar, o mais depressa possível, à terceira revolução industrial. Esta mudança de paradigma não será apenas a última chance para a maioria das espécies existentes na Terra poderem sobreviver, mas também uma oportunidade para dar um novo impulso “verde” ao crescimento econômico nas presentes condições da estagnação global. Essa idéia serve de base filosófica para o futurista de renome internacional e o autor do conceito da terceira revolução industrial Jeremy Rifkin que compartilha com os leitores do BRICS Business Magazine os detalhes do seu plano de salvação do mundo.

O dever de casa para os países BRICS

Ao esgotar os modelos desatualizados de desenvolvimento econômico, o mundo está se esforçando para encontrar novas oportunidades para o avanço da economia e o progresso. Os países BRICS não são excepção. A fim de não se atrasarem e ficarem para trás do novo mundo que está nascendo diante de nossos olhos, os Cinco devem encontrar uma agenda econômica comum. Essa é uma tarefa de longo prazo, disse na entrevista exclusiva dada à nossa revista por um dos mais famosos economistas russos, reitor e presidente do Conselho Científico Acadêmico da Academia de Economia Nacional e da Administração Pública da Rússia junto ao Presidente da Rússia, Dr. Vladimir Mau. Em certa medida, essa seria o dever de casa ainda a ser feito pelos países BRICS.

Pirâmide dos conhecimentos

Para criar toda uma classe de empreendedores criativos e socialmente responsáveis, capazes de converter a tecnologia em novas oportunidades para a sociedade, é necessário reestruturar todo o processo de educação, opina o representante do Governo da Índia no Departamento de Ciência e Tecnologia professor Ashutosh Sharma. As pesquisas científicas nas universidades devem ser realizadas agora de acordo com um novo modelo que estimula os estudantes e professores a assumirem riscos e desenvolverem soluções completamente novas, até agora desconhecidas.

Uma resposta comum a uma ameaça comum

Os acontecimentos trágicos de novembro – o avião russo abatido sobre o Sinai e os ataques terroristas em Paris – demonstraram claramente que os conflitos entre os grandes países já não representam a ameaça principal para a segurança humana. Hoje em dia, quando está crescendo a ameaça terrorista, o que nos dita o senso comum, segundo crê Jack Goldstone, professor de políticas públicas na Universidade George Mason, é a necessidade de a OTAN, a Rússia, a China e outros grandes centros de poder abandonarem os estereótipos e padrões de pensamento herdados da Guerra Fria, deixarem a rivalidade e unirem-se contra um inimigo comum que é o extremismo islamista.

Official partners

Logo nkibrics en Logo dm arct Logo fond gh Logo palata Logo palatarb Logo rc Logo mkr Logo mp